29 nov 2018

Causado pelo vírus Morbillivirus o sarampo é uma doença infecto-contagiosa e é uma das maiores causas de mortalidade infantil em países sub-desenvolvidos.

Após receber um certificado em 2016 da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) de eliminação da circulação do vírus, esse ano o Brasil enfrenta surtos de sarampo em Roraima e no Amazonas.

Confira informações atualizadas sobre os surtos de sarampo que estão acontecendo no Brasil em 2018.

 

Força-tarefa no Amazonas encerrou casos que estavam em investigação no Amazonas.

 

Rio Grande do Sul é o terceiro estado em número de casos de sarampo — Foto: Cristine Rochol/Prefeitura Municipal de Porto Alegre

 

Foram confirmados 10.163 casos de sarampo no Brasil desde o início de 2018. O novo balanço foi divulgado nesta quarta-feira (28) pelo Ministério da Saúde. O país enfrenta dois surtos da doença, um no Amazonas e outro em Roraima.

Uma força-tarefa foi feita em Manaus para tentar verificar os casos em investigação da doença. Mais de 7 mil suspeitas de sarampo precisavam ser esclarecidas, mas, de acordo com a pasta, o Amazonas zerou a “fila” dos registros. O pico do número de infecções do estado ocorreu entre os meses de julho e agosto; em Roraima, entre fevereiro e abril.

Ainda segundo o boletim do ministério, três estados apresentaram mortes pela doença: quatro em Roraima, seis no Amazonas e dois no Pará.

Os surtos ocorridos no Brasil estão ligados à importação do genótico do vírus (D8) da Venezuela, país vizinho com um alto número de casos desde 2017.

 

Meta de vacinação

O Brasil atingiu a meta geral de vacinação de crianças contra sarampo e poliomelite estabelecida pelo Ministério da Saúde. A taxa proposta pelo governo era vacinar 95% do público-alvo (crianças de 1 a cinco anos).

Segundo o balanço final, a cobertura vacinal ficou em 95,4% para a pólio e 95,3% para sarampo, totalizando 10,7 milhões de crianças vacinadas.

Porém, 516 mil crianças não receberam as doses recomendadas. A única faixa etária que não chegou ao índice de 95% foi a de um ano de idade, cuja cobertura está em 88%. Apesar do fim da campanha, a vacina continua disponível o ano inteiro nos postos de saúde.

 

Entenda o que é sarampo, quais os sintomas, como é o tratamento e quem deve se vacinar — Foto: Infografia: Karina Almeida/G1

 

Fontes: https://g1.globo.com/bemestar/noticia/2018/11/28/sarampo-numero-de-casos-confirmados-passa-de-10-mil-no-brasil-diz-ministerio.ghtml

https://www.minhavida.com.br/saude/temas/sarampo

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail
21 nov 2018

Pensando no seu bem-estar desenvolvemos opções diversas de planos de vacinação. Queremos poder oferecer saúde que se encaixe no seu dia-a-dia e no seu orçamento. Os benefícios que os planos podem te oferecer são:

reserva-de-vacinas

Reserva de vacinas

atraso-vacinal

Evitar atraso vacinal

programação-financeira

Programação financeira

descontos-exclusivos

Descontos exclusivos

plano-personalizado

Planos personalizados

Para oferecer benefícios contínuos nossos planos podem ser utilizados em diferentes clientes:

 

  • Plano de vacinação do 1º ano de vida

Contempla as vacinas dos 2º ao 9º mês

  • Plano de vacinação de reforço

Contempla as vacinas de 12 a 24 meses

  • Plano personalizado

Podem ser feitas várias combinações de acordo com o histórico vacinal, necessidade e idade.

Conheça as vacinas que devem ser tomadas e os períodos corretos de vacinação:

  • Rotavírus
  • Hexavalente
  • Meningite B
  • Meningite ACWY*
  • Influenza (Gripe)
  • Febre Amarela
  • Pneumocócica 13
  • Pneumocócica 23
  • Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba e Rubéola)
  • Tetraviral
  • Varicela
  • Hepatite A
  • Hepatite B
  • Hepatite A+B
  • Herpes Zoster
  • HPV
  • Triplice Bacteriana

Consulte a tabela de preços com validade até dia 31/03/2019 através dos contatos:

(11) 3723-2828

(11) 3723-2822

(11) 3723-2821

(11) 3723-2827

(11) 99237-7672

recepcao@vipimune.com.br

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail
06 nov 2018

A febre amarela é uma doença infecciosa muito grave e transmitida por mosquitos, principalmente o Aedes aegypti eHaemagogus.

Desde o começo do ano de 2017 o número de casos de pessoas infectadas vem aumentando e se tornou o pior surto da doença desde 1980.

O Instituto Adolfo Lutz confirmou nesta segunda-feira mais uma morte pela doença. Desde o começo do ano, houve 502 casos da doença no estado, com 175 mortes.

A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo fez alerta na tarde desta segunda-feira (5) para que quem vai viajar para o litoral do estado esteja vacinado contra a febre amarela. A recomendação é para que os turistas se vacinem com intervalo de ao menos dez dias antes da viagem.

O alerta foi feito após o Instituto Adolfo Lutz confirmar mais uma morte pela doença no estado, no município de Cunha, no Vale do Paraíba.

Desde o começo do ano, houve 502 casos de febre amarela no estado. Deste total, 175 pacientes morreram da doença. Segundo o boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde, Mairiporã, na Grande são Paulo, e Atibaia têm quase 40% dos casos – são 152 casos no primeiro município, onde houve 33 mortes, e 48 no segundo, com 10 mortes.

Atualmente, não há nenhuma região do estado livre do vírus da febre amarela. A circulação está mais concentrada em área de Mata Atlântica.

O caso de morte que o Instituto Adolfo Lutz confirmou nesta segunda-feira é de um homem de 26 anos que morava em Cunha, no interior, e estava internado no Hospital Emílio Ribas. Ele morreu na semana passada.

A Secretaria de Saúde do estado não divulgou o nome da vítima, mas informou que ele contraiu a doença na zona rural de Caraguatatuba, enquanto procurava emprego na duplicação da Rodovia dos Tamoios, num canteiro de obras perto da mata.

Fontes: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2018/11/05/governo-de-sp-alerta-para-vacinacao-de-febre-amarela-para-quem-vai-para-o-litoral.ghtml?utm_source=whatsapp&utm_medium=share-bar-smart&utm_campaign=share-bar

https://www.minhavida.com.br/saude/temas/febre-amarela

https://saude.abril.com.br/medicina/surto-de-febre-amarela-ja-e-o-mais-mortal-desde-1980-e-agora/ 

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail