Indicada  pessoas entre 9 e 45 anos e contraindicada para mulheres que estejam grávidas ou amamentando.
É importante saber que você só pode tomar a vacina da Dengue 30 dias depois de tomar qualquer outra vacina e também deve ficar mais 30 dias após sem tomar outro tipo de vacina.

A vacina protege contra os quatro tipos do vírus da dengue e deve ser aplicada em três doses, com intervalos de seis meses.

A promessa do fabricante é de proteção de 93% contra casos graves da doença, redução de 80% das internações e eficácia global de 66% contra todos os tipos do vírus.

Procurando auxiliar nas condutas a serem tomadas por Médicos e outros profissionais da saúde, a SBIm faz as seguintes considerações:

  1. Recomenda-se que pessoas soronegativas não recebam a vacina até que mais dados de segurança nesse grupo estejam disponíveis.
  1. Quando se desconhece o estado sorológico do paciente, a sorologia deve ser realizada antes de decidir pela vacinação.
  1. A recomendação da vacina para indivíduos soropositivos para dengue se mantém, já que os estudos de seguimento de cinco anos confirmam a eficácia e segurança da vacina para estes.
  1. A definição da conduta diante de situações em que o indivíduo já recebeu uma ou duas doses da vacina sem que sua sorologia prévia seja conhecida é controversa.

A SBIm aguarda dados que possam esclarecer sobre a continuidade ou não da vacinação

E destaca:

  1. A realização de sorologia nesses casos não é esclarecedora, já que, provavelmente, depois da vacinação, se mostrará positiva;
  1. O atraso da aplicação da(s) dose(s) subsequente(s), aguardando mais dados que possam esclarecer sobre a segurança da continuidade do esquema vacinal, assim como posicionamento da Anvisa e da Sanofi-Pasteur, é uma opção a ser considerada pelo médico.
  1. No entanto, os riscos e benefícios da conduta devem ser informados e discutidos com o paciente. Se, por razões epidemiológicas, o médico optar pela continuidade do esquema, deverá obrigatoriamente informar o paciente sobre os riscos e benefícios, tanto da doença como da vacinação.

5. Aos serviços privados de vacinação, a solicitação obrigatória de prescrição médica, tanto para a primo vacinação, como para a continuidade do esquema de vacinação.

Nota Técnica da SBIM – Sociedade Brasileira de Imunizações sobre a Dengue.

Clique aqui e leia a Nota na íntegra. (Obs.: Arquivo em formato PDF).