19 nov 2019

Apesar da gravidade das Herpes-Zóster, há muitas dúvidas em relação à essa doença, que também é conhecida como “cobreiro”. Causada pelo mesmo vírus que da varicela, a diferença entre as duas é que a varicela ocorre com mais frequência em crianças, já a herpes zóster atinge mais idosos. Para entender melhor continue lendo esta matéria.

Herpes zóster (HZ) é uma reativação do Vírus da Varicela Zóster (VZV) latente (o mesmo que causa a catapora), sendo primariamente uma doença de idosos e pessoas imunossuprimidas. Um estudo populacional conduzido no Condado de Olmsted, nos Estados Unidos (EUA), relatou alguns dados importantes sobre a doença.

1) O risco de HZ aumenta com a idade: de 4,7% em pessoas na faixa de 50 a 59 anos de idade a 12% em pessoas com idade igual ou superior a 80 anos de idade.

2) As complicações, principalmente neuralgia pós-herpética (PHN, definida como dor que dura mais de 90 dias desde o início da erupção cutânea HZ), também aumentam com a idade: de 5,41% na faixa entre 50 a 59 anos de idade a 20,32% em idosos com 80 anos de idade ou mais.

Incidência de herpes zóster

Vários estudos mostraram que a incidência da doença aumentou em muitos países, como por exemplo, Austrália, Canadá, Japão e os Estados Unidos. Esse crescimento ocorre pelos seguintes fatores: envelhecimento da população e consequente aumento das doenças crônicas, da prevalência de imunossupressão na população idosa e imunossupressão causada por estresse e depressão a longo prazo.

A tendência global de envelhecimento das populações apresenta um desafio para os recursos de saúde, especialmente em relação às doenças que impactam os idosos, como é o caso da Herpes Zóster. O Instituto Nacional do Envelhecimento estima que em 2030 o mundo provavelmente terá mais de 1 bilhão de pessoas idosas (maiores de 65 anos).

Nesse contexto, foi publicado na BMJ Geritriacs um estudo para estimar o potencial de incidência de herpes zóster ao longo do tempo, levando em consideração as tendências de incidência da doença e envelhecimento global. O documento foi concentrado em três países (Estados Unidos, o Japão e a Austrália) os quais projetaram os casos incidentes de HZ até 2030, na faixa etária maior de 65 anos. Os autores concluíram que o índice de afetados pelo problema deve crescer de 2,35 a 3,74% por ano até 2030.

Como prevenir a herpes zóster?

Aprovada pela Anvisa em 2014, a vacina pode ser administrada mesmo que o paciente já tenha tido um episódio de herpes na vida; está licenciada para pessoas com 50 anos ou mais e é recomendada como rotina para maiores 60 anos de idade.

Dentre as contraindicações temos:

  • Pessoas imunodeprimidas;
  • Alergia grave (anafilaxia) a algum dos componentes da vacina;
  • Pessoas com tuberculose ativa não tratada;
  • Gestantes.

 

Fontes: https://pebmed.com.br/casos-de-herpes-zoster-devem-aumentar-nos-proximos-anos-como-prevenir/

https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/herpes-zoster/97/

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail