12 nov 2020

O mês de novembro é dedicado à conscientização da prematuridade e suas possíveis causas. A falta de assistência médica de qualidade prestada à gestante é um fator que deve ser levado em consideração, uma vez que uma infecção de urina, por exemplo, se não detectada e tratada pode resultar na prematuridade.
Para contribuir com a conscientização sobre o tema, vamos compartilhar o calendário vacinal do prematuro.

Palivizumabe

Trata-se de uma imunoglobulina, que é um anticorpo “pronto” que previne contra infecções específicas contra o vírus sincicial respiratório, atualmente é a única maneira de prevenir quadros graves de infecções respiratórias em crianças prematuras.
A Palivizumabe é indicada no calendário do prematuro para os recém-nascidos pré-termo, com menos de 29 semanas de idade gestacional, para aqueles nascidos entre 29 e 32 semanas até o 6º mês de vida e para portadores de doenças cardíacas e pulmonares nos dois primeiros anos de vida, independente da idade gestacional.

Hepatite B

Para a vacinação rotineira de crianças, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) adotou o esquema de quatro doses: uma dose em formulação isolada ao nascimento e doses aos 2, 4 e 6 meses de vida, incluídas na vacina pentavalente de células inteiras. A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) recomendam os esquemas de quatro doses (adotado pelo PNI) ou de três doses: ao nascimento, em formulação isolada, e aos 2 e 6 meses de vida, como parte da vacina hexavalente acelular. Aos 4 meses é recomendada a vacina penta acelular, que não contém o antígeno hepatite B em sua formulação.

Confira o calendário completo do prematuro clicando aqui!

 

Fontes: Familia.SIMm.org.br/Revista Crescer

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail