13 out 2020

A partir do dia 7 de outubro para o ensino médio e 3 de novembro para o fundamental, o governo autorizou o retorno gradual às aulas. Durante a pandemia, a cobertura vacinal caiu não só em São Paulo, mas em todo o Brasil, é de extrema importância que o calendário vacinal esteja atualizado para que não haja proliferação de novas doenças.

As crianças são expostas à diversas doenças imunopreveníveis através de vacinas. O convívio aumenta o risco de contágio e por isso é de extrema importância que o calendário vacinal esteja atualizado.

Manter o calendário vacinal completo é importante, pois protege a criança e toda a sociedade à sua volta, o que chamamos de Estratégia Cocoon. A segurança da saúde coletiva depende de taxas elevadas de vacinação.

 

Governo de SP faz campanha por vacinas atrasadas para volta às aulas

 

O governo de São Paulo anunciou hoje que aproveitará o início da campanha de vacinação contra a poliomielite em outubro para tentar regularizar o calendário vacinal que foi afetado pela pandemia do novo coronavírus. As vacinas atrasadas ajudarão na retomada das aulas letivas presenciais, que estão autorizadas a voltarem na rede estadual a partir de 7 de outubro para o ensino médio e em 3 de novembro para o fundamental. Durante a pandemia, a cobertura vacinal caiu não só em São Paulo, mas em todo o Brasil. O grande motivo foi o receio pela contaminação com o coronavírus ao buscar a vacinação e também o respeito às medidas de isolamento social que foram adotadas em diversos estados.

Em São Paulo, o próprio governo admitiu que essa não era uma prioridade nos primeiros meses da pandemia.

“A adesão às campanhas vacinais acabaram sendo postergadas”, disse hoje Jean Gorinchteyn, secretário estadual de Saúde, em entrevista coletiva realizada no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo.

“Não temos um vírus circulante só no nosso meio, temos outros. Se precisamos retomar (as aulas) para que as crianças voltem às escolas, temos que trazer segurança também nesse requisito”, explicou o secretário.

Gorinchteyn anunciou que a partir de 5 de outubro o estado paulista aproveitará a campanha nacional de vacinação contra a poliomielite, realizada pelo Ministério da Saúde, para convocar os pais a regularizem possíveis vacinas atrasadas dos seus filhos em São Paulo.

“A partir do dia 5 de outubro começaremos uma campanha para a pólio, e nessa campanha serão convocadas as crianças para que tomem as vacinas para que todo o calendário vacinal seja normalizado, atualizado. Para que assim estaremos garantindo que essas crianças voltem para as escolas de uma forma absolutamente segura”, afirmou Gorinchteyn.

O governo de São Paulo ainda divulgará mais detalhes sobre a campanha, mas é esperado que o calendário siga o nacional, que prevê a imunização contra a poliomielite de 5 a 30 de outubro. O público-alvo da campanha nacional são crianças e adolescentes com até 15 anos.

 

 

Fonte: Uol

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail