31 maio 2021
Pneumonia

Conheça todas as características, os principais sintomas e os tratamentos para pneumonia

pneumonia é uma inflamação dos pulmões que, geralmente, está relacionada a uma infecção por vírus, bactérias, fungos ou até de processos alérgicos.

Segundo o Ministério da Saúde, somente no Brasil, entre 2015 e 2017, foram registrados aproximadamente 200 mil óbitos causados por pneumonia, uma média de 66,5 mil casos por ano, sete por hora.

Além disso, de acordo com o mesmo levantamento, mais de 80% das mortes por pneumonia no país são de idosos, o que demonstra a taxa de mortalidade nesta faixa etária.

Diante disso, preparamos esse conteúdo com as principais características sobre pneumonia, sintomas e como tratar a doença. Confira a seguir!

Leia também: SARS: entenda o que é a síndrome respiratória aguda

Conheça os principais sintomas da pneumonia

Geralmente, pessoas que estão com pneumonia começam a apresentar sintomas como febre, tosse e desconfortos respiratórios.

Por isso, esses sintomas semelhantes aos de doenças, como gripes e bronquites, retarda o diagnóstico precoce, o que é essencial para evitar complicações provocadas pela enfermidade.

Saiba mais: Saiba como prevenir as crises alérgicas

Entenda como a doença se desenvolve no organismo

Na maioria dos casos, a pneumonia começa com uma simples gripe ou resfriado que não é bem tratado e, consequentemente, provoca a queda considerável da imunidade de uma pessoa.

Sem as defesas ideais do organismo, diferentes tipos de bactérias se infiltram nos alvéolos pulmonares e causam a inflamação da pneumonia.

Você pode se interessar por: Conheça todos os processos para o desenvolvimento da vacina da COVID-19

Saiba quais são os tipos de pneumonia

Como a doença pode ser provocada por diferentes bactérias, a pneumonia apresenta uma grande variedade, e até com sintomas diferentes, mas em comum, todas afetam o pulmão de uma pessoa.

Dentre os principais tipos de pneumonia, os principais são:

  • Bacteriana

  • Por transmissão de outra pessoa infectada

  • Hospitalar

  • Associada à ventilação mecânica, quando um paciente entubado desenvolve a doença

Vale destacar que o contágio da pneumonia é a maneira mais difícil de pegar a doença.

Leia mais: Vacina BCG: saiba como prevenir a tuberculose

Confira como é o tratamento

Nos casos mais leves de pneumonia, o recomendado é que o paciente beba bastante líquido e descanse, além de tomar os medicamentos receitados.

Já para casos mais graves, no hospital, o tratamento pode incluir:

  • Administração de antibióticos por via intravenosa

  • Cuidados especiais de hidratação

  • Administração de oxigênio

  • Administração de broncodilatadores

  • Fisioterapia respiratória

Saiba mais: Tire suas dúvidas sobre a vacina DTPA + IPV

Conte com a Vip Imune

Agora que você já conhece as principais características sobre a pneumonia, é importante manter o calendário de vacinação em dia, principalmente as relacionadas à gripe, já que um resfriado mal tratado pode trazer graves consequências a um paciente.

Nesse sentido, a Vip Imune promove a vacinação familiar e corporativa, a partir de uma equipe qualificada, experiente e atenciosa para proporcionar atendimento humanizado e completo para pessoas de todas as idades, desde bebês até terceira idade.

Entre em contato com os nossos profissionais e programe a sua imunização.

24 maio 2021
Vacinação ocupacional

Entenda a importância da vacinação ocupacional para a saúde dos trabalhadores

vacinação ocupacional tem sido um importante investimento das empresas que se preocupam com a saúde e bem-estar dos trabalhadores, já que, segundo pesquisa encomendada pela Pfizer e realizada pelo Ibope, apenas 50% dos brasileiros verificam a carteirinha de vacinação regularmente.

Além disso, ainda de acordo com o mesmo levantamento, 17% dos entrevistados nunca verificam, não têm, não sabem se têm ou onde está o documento.

Assim, com o investimento na saúde do trabalhador, as empresas têm profissionais saudáveis, mais motivados, além de evitar problemas como absenteísmo e até gastos elevados com planos de saúde corporativos.

Diante disso, preparamos esse conteúdo sobre a importância da vacinação ocupacional e os benefícios desta prática para profissionais e empregadores. Confira!

Leia também: 5 dicas para combater a hipertensão

Conheça as principais imunizações da vacinação ocupacional

Antigamente, as organizações que investiam em imunização para os trabalhadores disponibilizavam basicamente a vacina para gripe.

No entanto, nos últimos anos, as empresas notaram a grande quantidade de pessoas que não estão com o calendário de vacinação em dia, além de grandes gastos provocados pelo absenteísmo e até presenteísmo, e passaram a disponibilizar outras imunizações aos seus profissionais.

Conheça as principais vacinas disponibilizadas pelas organizações atualmente:

  • Gripe

  • Hepatite A-B

  • Influenza

  • dTpa

  • Febre Amarela

Saiba mais: Saiba como combater o câncer na infância

Saiba as vantagens de promover a imunização dos profissionais para empresas

Além das imunizações básicas, existem ramos de atuação em que os profissionais são expostos a alguns tipos de infecções que também devem ser evitados com a vacinação ocupacional.

Desta maneira, as organizações garantem saúde, bem-estar e produtividade. Confira outros benefícios:

  • Melhora a qualidade de vida dos empregados

  • Diminui a proliferação de doenças

  • Promove a manutenção da saúde

  • Proporciona mais motivação e satisfação dos profissionais

  • Diminui o absenteísmo e o presenteísmo

  • Reduz custos com planos de saúde

  • Contribui para a produtividade dos colaboradores

Acesse também: Tire suas dúvidas sobre a vacina DTPA + IPV

Entenda como a vacinação ocupacional também conscientiza os trabalhadores

Antes de iniciar as vacinas nos profissionais, as organizações contratam empresas especializadas neste serviço, que, em um momento inicial, trabalham para disseminar a informação e a importância da imunização.

Assim, os trabalhadores são estimulados a receberem as vacinas e ainda dividem essas informações sobre a importância de manter o calendário de imunização em dia com familiares e amigos.

Você pode se interessar por: Vacina BCG: saiba como prevenir a tuberculose

Conheça com a Vip Imune

Para iniciar uma campanha de vacinação ocupacional em sua empresa, é essencial contar com uma parceira sólida e de confiança.

Neste caso, a Vip Imune Clinica de Imunizações promove a imunização familiar e corporativa, a partir de uma equipe qualificada e atenciosa, que proporciona atendimento humanizado e completo para todas as pessoas.

Entre em contato com os nossos profissionais e saiba tudo o que podemos oferecer para sua empresa!

17 maio 2021
amamentação

Desde o tempo ideal até a dieta adequada para as mamães, conheça as principais características para a amamentação saudável

A chegada de um bebê traz diversas alegrias, mas também uma série de desafios e dúvidas, inclusive sobre a amamentação. Vale destacar que a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde recomendam, quando possível, a amamentação exclusiva por seis meses.

Nesse sentido, vale destacar que, mais da metade das crianças brasileiras é amamentada no primeiro ano de vida, e mais de 45% dos bebês menores de seis meses recebem leite materno exclusivo, de acordo com estudo do Ministério da Saúde.

Diante dessas informações, reunimos as respostas para as principais dúvidas das mamães sobre amamentação. Veja a seguir!

Leia também: Depressão pós-parto: conheça as causas, sintomas e o tratamento

Mamãe, você tem dúvidas sobre a amamentação? Confira as principais respostas aqui!

Por quanto tempo deve-se amamentar a criança?

Como já indicado no início do texto, a recomendação dos órgãos internacionais e brasileiros é de amamentação exclusiva por 6 meses.

Após esse período, pode-se manter a alimentação do bebê com leite materno, mas é recomendado que as mamães comecem a introduzir a alimentação complementar. Esse modelo pode ser seguido até os dois anos de idade da criança, sempre com acompanhamento de um pediatra.

A introdução de alimentos diminui gradativamente o número de mamadas ao longo do dia e, consequentemente, o desmame pode acontecer naturalmente.

Quanto tempo deve durar cada mamada?

O tempo de mamada depende muito de cada bebê, já que cada um desenvolve seu próprio jeito de se alimentar. No entanto, é estimado que 10 minutos, aproximadamente, são suficientes para uma boa alimentação.

Vale destacar que, nos primeiros dias de vida, esse tempo de mamada pode ser bem maior, afinal, o bebê está em processo de aprendizado, bem como a mamãe.

Por fim, o intervalo entre as mamadas deve ser de duas a quatro horas.

É aconselhável acordar o bebê para mamar durante a madrugada?

Caso o bebê apresente o desenvolvimento ideal, de acordo com avaliação do pediatra e ganhe peso normalmente, não é necessário acordá-lo de madrugada para amamentá-lo.

Ao invés da preocupação, fique tranquila! São poucos os recém-nascidos que não mamam durante a noite!

Como saber se a criança mamou o suficiente?

Para avaliar se a mamada foi suficiente, preste atenção se o bebê ficou tranquilo e relaxado após mamar. Além disso, verifique se a quantidade de xixi durante o dia foi suficiente para seis fraldas.

No mais, é fundamental realizar as consultas pediátricas de acordo com o calendário estabelecido pelo médico do seu bebê. Assim, ele vai ter certeza se a amamentação está sendo o suficiente a partir do ganho de peso da criança.

Qual a dieta mais recomendada para a mãe durante a amamentação?

Por fim, para que a amamentação seja saudável e eficiente para os bebês, é essencial que a mamãe tenha uma dieta equilibrada e se hidrate adequadamente.

Por isso, consumir pelo menos 2 litros de água e fazer cinco ou seis refeições por dia, com variedade de alimentos e sem abusar dos doces, é o que os especialistas recomendam para este período de amamentação.

Você pode se interessar por: Conheça as principais dicas para a saúde da mulher

Conheça a Vip Imune

Além da amamentação, é fundamental seguir o calendário de vacinação para os bebês e, para isso, é preciso ter uma instituição de saúde de confiança.

Neste caso, a Vip Imune promove a vacinação familiar e corporativa, a partir de uma equipe qualificada, experiente e atenciosa para proporcionar atendimento humanizado e completo para todas as pessoas, desde bebês até terceira idade.

Entre em contato com os nossos profissionais e programe a imunização do seu bebê, de acordo com o calendário de vacinação.

10 maio 2021
SARS

Conheça as principais causas, os sintomas e saiba como combater a síndrome respiratória aguda

A partir da pandemia do novo coronavírus, a síndrome respiratória aguda, também conhecida por SARS (Severe Acute Respiratory Syndrome), ou SRAG, é discutida diariamente nos noticiários dos veículos de imprensa.

Nesse sentido, apesar de grande parte dos sintomas da Covid-19 ser leve, a síndrome respiratória aguda é um dos indícios mais graves da infecção e, para combatê-lo, é fundamental conhecer os sintomas e entender quais são as medidas preventivas.

Vale destacar que, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS)entre os pacientes infectados com coronavírus, aproximadamente 15% apresentam sintomas graves e precisam de oxigênio, enquanto 5% ficam gravemente doentes e precisam de cuidados intensivos.

Diante deste cenário, saiba como identificar a enfermidade e conheça as melhores práticas para combater a síndrome respiratória aguda.

Leia também: Conheça todos os processos para o desenvolvimento da vacina da Covid-19

Saiba identificar sinais e sintomas da síndrome respiratória aguda

Na prática, a SARS pode ser identificada a partir do seguintes indícios:

  • Febre

  • Calafrios

  • Dor de cabeça

  • Tosse

  • Nariz escorrendo

  • Dor de garganta

  • Dificuldade ou desconforto para respirar

  • Sensação de peso ou pressão no peito

  • Oxigenação sanguínea abaixo de 95%

Nas crianças, os principais sintomas são a falta de ar, desidratação e a falta de apetite.

Saiba mais: Vacina BCG: saiba como prevenir a tuberculose

Conheça o que causa a enfermidade

Os motivos para a síndrome respiratória aguda podem ser as infecções dos pulmões (pneumonia), que são causadas por diversos microrganismos, como bactérias, vírus e fungos. Dentre estes microrganismos está o coronavírus

Você pode se interessar por: Tire suas dúvidas sobre a vacina DTPA + IPV

Saiba o que fazer quando sentir os sintomas da síndrome respiratória aguda

A partir dos sinais de que uma pessoa pode estar com a síndrome respiratória aguda, é preciso buscar atendimento médico o mais rápido possível para uma primeira avaliação.

Caso necessário, serão colocados em prática cuidados mais intensivos, como:

  • Internação

  • Isolamento

  • Exames para identificar a causa da SARS

Inicialmente, o tratamento da enfermidade é realizado com grandes quantidades de oxigênio, já que este procedimento é suficiente para a melhora e conforto da maioria dos pacientes.

No entanto, se não forem apresentadas melhoras significativas, é avaliada a necessidade de intubação do paciente.

Leia também: Saiba como combater o câncer na infância

Conheça a Vip Imune

As pessoas que recebem a aplicação das vacinas contra o coronavírus dificilmente irão ter consequências mais graves da infecção, como a síndrome respiratória aguda.

Por falar em vacina, é fundamental estar com o calendário de imunização em dia e, para isso, é preciso contar com uma instituição sólida, experiente e de confiança

Nesse sentido, a Vip Imune promove a vacinação familiar e corporativa, a partir de uma equipe qualificada, experiente e atenciosa para proporcionar atendimento humanizado e completo para pessoas de todas as idades, desde bebês até terceira idade.

Entre em contato com os nossos profissionais e programe a sua imunização.

05 maio 2021
crises alérgicas

Desde evitar dormir com animais de estimação até escolher o melhor horário para prática de exercícios físicos, entenda como é possível evitar crises alérgicas

As crises alérgicas são um verdadeiro desafio para quem sofre com esse problema, já que esses “ataques” causam diversos contratempos, como nariz entupido, coceira nos olhos e tosse, por exemplo.

Nesse sentido, no dia 07 de maio, é comemorado o Dia Nacional de Prevenção à Alergia, em que profissionais da saúde e pacientes se unem para debater o tema e desenvolver ações de prevenção.

Vale destacar ainda que, segundo a Organização Mundial de Saúde – OMS – 40% da população mundial sofre com algum tipo de alergia.

Por isso, preparamos esse conteúdo com as melhores práticas para evitar as crises alérgicas. Confira a seguir!

Leia também: Conheça as principais dicas para a saúde da mulher

Conheça as melhores ações para evitar crises alérgicas

Evite o contato com a causa da alergia

A melhor maneira para prevenir as crises alérgicas é evitar o contato com a causa do problema.

Neste caso, adotar alguns hábitos é fundamental para minimizar possíveis reações alérgicas. Confira:

  • Mantenha os ambientes limpos

  • Evite o acúmulo de poeira

  • Não fume

  • Se hidrate adequadamente

  • Tenha uma dieta equilibrada e rica em vitaminas e nutrientes

  • Tome sol para fazer a manutenção da vitamina D

  • Evite aromas e cheiros fortes

Utilize um purificador de ar

Lançar mão de purificadores de ar e filtros de ambientes também auxilia a remover o pólen, pelos de animais, poeiras e outros inimigos dos alérgicos.

Escolha o horário ideal para prática de atividades físicas

O horário para as atividades físicas deve ser escolhido com cuidado, já que, os alérgicos que desejam praticar exercícios ao ar livre, por exemplo, precisam evitar os períodos da manhã e da tarde, em que a qualidade do ar pode provocar crises alérgicas.

Não durma com animais de estimação

Pessoas com alergia ainda devem evitar dormir com cães, gatos e qualquer outro animal de estimação.

Isso se deve ao fato de que esses animais podem trazer pólen, poeira, mofo, outros ácaros, além de soltarem pelos finos que incomodam quem tem rinite, por exemplo.

Evite carpetes

Por falar em pelos, é importante evitar carpete e optar por pisos frios com no máximo um tapete que possa ser lavado periodicamente.

O carpete e outros tapetes com muitos pelos também podem provocar crises alérgicas a quem sofre esses problemas.

Você pode se interessar por: Depressão pós-parto: conheça as causas, sintomas e o tratamento

Conheça a Vip Imune

Atualmente, já existem vacinas que estimulam a formação de defesas próprias e anticorpos específicos contra as causas de crises alérgicas. Estudos comprovam que a vacina contra a rinite é eficaz em 80% dos casos, por exemplo.

Para ficar por dentro das informações sobre esses imunizantes e saber se é compatível com o seu tipo de alergia, é preciso ter uma instituição de saúde de confiança.

Neste caso, a Vip Imune promove a vacinação familiar e corporativa, a partir de uma equipe qualificada, experiente e atenciosa para proporcionar atendimento humanizado e completo para todas as pessoas, desde bebês até terceira idade.

Entre em contato com os nossos profissionais e saiba mais!