01 out 2021

vacinação na terceira idade é composta por diversos imunizantes fundamentais para combater doenças e contribuir para a longevidade e qualidade de vida das pessoas acima dos 60 anos de idade.

Nesse sentido, mesmo em tempo de pandemia, é essencial manter o esquema vacinal em dia. A dica dos especialistas é dar um intervalo de 14 dias entre a vacina contra a COVID-19 e os outros imunizantes.

Manter os imunizantes em dia se deve ao fato de que uma simples gripe ou qualquer outra doença infecciosa se agravar e causar problemas crônicos como pneumonia e alterações cardíacas e pulmonares, por exemplo.

Diante disso, preparamos esse conteúdo com os principais imunizantes para a vacinação na terceira idade, de acordo com a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBim). Confira!

Leia também: Calendário vacinal desatualizado: quais são os riscos?

Conheça as principais vacinas para pessoas acima dos 60 anos

Gripe (Influenza)

Um dos principais imunizantes para a vacinação na terceira idade é o da gripe, que é causada por uma infecção viral, chamada de influenza, e deve ser tomada todos os anos.

Vale destacar que, segundo a Organização Mundial de Saúde – OMS, a gripe provocada pelo vírus influenza atinge de 5% a 10% dos adultos em todo o mundo anualmente.

Pneumocócica

Em seguida, a vacina pneumocócica também é importante em idosos para evitar múltiplas infecções, como:

  • Otite

  • Pneumonia bacteriana

  • Sepse

  • Meningite

A pneumonia pneumocócica, inclusive, é causa comum de internações e até morte de idosos.

Tríplice bacteriana

Já a tríplice bacteriana é recomendada como reforço, para adultos e idosos, e imuniza contra difteria, tétano e coqueluche.

Como esse imunizante é inativado, não tem possibilidade de causar essas doenças em pessoas com a imunidade mais baixa.

Hepatite B

Ainda sobre os principais imunizantes para a vacinação na terceira idade, a vacina de Hepatite B é mais uma entre as indicadas pelos especialistas para os idosos.

No entanto, como a maioria das pessoas acima dos 60 anos já teve Hepatite A, a rede pública não oferece esse imunizante.

Por isso, para recebê-lo, é preciso procurá-lo na rede particular.

Febre amarela

Caso o idoso se exponha ao risco em regiões em que a febre amarela seja comum, é preciso receber a vacina.

No entanto, esse imunizante pode apresentar efeitos colaterais. Por isso, antes de receber a dose, é importante consultar o seu médico.

Herpes zóster

Comum em idoso e causada pelo herpesvírus humano tipo 3, a herpes zóster tem vacinação recomendada para pessoas que tiveram a doença na infância.

Porém, a vacina contra herpes zóster é mais um imunizante que não é oferecido na rede pública.

Meningocócicas

Mais um imunizante recomendado para vacinação na terceira idade e que não está disponível no Sistema Único de Saúde – SUS, a vacina meningocócica é indicada para idosos em casos de epidemia, surtos e viagens de risco.

Tríplice viral

Por fim e não menos importante, a tríplice viral previne contra sarampo, caxumba e rubéola.

Esse é mais um dos imunizantes disponíveis apenas na rede particular e não é recomendado para pessoas que fizeram transplante, têm câncer ou HIV.

Por isso, é importante que seja indicado pelo seu médico.

Saiba mais: Vacina da gripe: tudo o que você precisa saber!

Conte com a Vip Imune para vacinação na terceira idade

Como visto, existem diversos imunizantes para a vacinação na terceira idade que são recomendados pelos especialistas, como a SBim, mas não estão disponíveis na rede particular.

Para isso, é preciso contar com uma instituição de saúde sólida, experiente e de confiança.

Nesse caso, a Vip Imune foi idealizada e planejada com a proposta de atuar na imunização familiar e corporativa, agregando valor, qualidade e informação a todos.

Contamos com uma equipe qualificada e atenciosa na área de imunização e com profissionais experientes, o que resulta em um atendimento humanizado e completo para todas as pessoas, desde bebês até terceira idade.

Entre em contato com os nossos profissionais e programe sua imunização, de acordo com o calendário de vacinação ou a recomendação do seu médico.